O que é Inflação (IPCA) e o que ela muda na sua vida?

Carteira sendo pressionada por uma morsa de bancada

 

              Você já reparou que pessoas de mais idade costumam dizer que na época deles dava para comprar muita coisa com R$1,00? Você mesmo já deve ter notado que, nos últimos anos, o preço dos alimentos, dos aluguéis, dos remédios e de muitos outros produtos estão aumentando, não é mesmo? Parece que seu dinheiro está encolhendo! Pois é, esse é o fenômeno que se concretiza em números através do que chamamos de Índice de Preços, ou Inflação.

               Neste artigo, vamos falar sobre o índice de Inflação denominado IPCA  – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – e suas influências na economia e na vida das pessoas.

 

Curiosidade: os Índices de Inflação

 

               Você já deve ter ouvido falar nos noticiários sobre a Inflação. A Inflação é um índice gerado por alguma entidade ou instituto de pesquisa para registrar o aumento de preços de produtos e serviços, durante um determinado período. Atualmente, existem diversos tipos de índices, gerenciados por entidades como a Fundação Getúlio Vargas, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, entre outros.

 

Tabela com os Tipos de Inflação

 

             Quando se fala em inflação, geralmente, estamos falando sobre o IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, cujo objetivo foi introduzido na tabela anterior. Detalhes da metodologia e dos parâmetros de cálculo desse índice serão explicados em seções anteriores.

 

Como a Inflação interfere na sua vida?

 

              A princípio, queremos que você entenda o seguinte: se você tem R$1000,00 em dinheiro hoje, você consegue comprar uma certa quantidade de produtos. Esses mesmos R$1000,00, daqui a um ano, certamente não serão suficientes para comprar a mesma quantidade de produtos. Isso porque estes estão mais caros devido à Inflação.

                Uma conclusão importante desse conceito é que para manter o poder de compra do seu dinheiro, ou seja, para que daqui a um ano, por exemplo, você tenha certeza que poderá comprar os mesmos produtos nas mesmas quantidades, você deve investir seu dinheiro numa aplicação que tenha uma rentabilidade, no mínimo, equivalente à Inflação anual.

 

Exemplo:

 

               Caricatura de Mulher pensandoVamos a um exemplo prático para analisarmos duas situações. João tem R$1000,00 em mãos e precisa decidir o que fazer com o dinheiro, levando em conta que o alto índice de inflação registrado no ano anterior de 10,67% a.a. (ao ano) irá se repetir para este ano. Segundo a nossa explicação, para manter seu poder de compra médio, João precisa fazer com que esse dinheiro se “transforme” em R$1106,70 (R$1000,00 + 10,67% a.a.) até o ano que vem.

               Se ele investir na Poupança, por exemplo, com rentabilidade média avaliada em 8,11% a.a., ele terá ao final do ano o montante líquido de R$1081,10 (R$1000,00 + 8,11% a.a.). Neste caso, João estaria perdendo poder de compra.

             Vamos supor que ao invés de investir na Poupança, ele decidisse fazer uma aplicação em alguma modalidade de renda fixa, por exemplo, Tesouro IPCA+ 2019 com rentabilidade de 16,99% a.a. (consultado no dia 28/02/2016 [1]), que tem rentabilidade indexada ao IPCA somado a um bônus de 6,32% a.a. (isso significa, no nosso caso, rentabilidade de 10,67% a.a. + 6,32% a.a., ou seja, 16,99% a.a.). Neste caso, João teria o montante bruto de R$1169,99, e se quisesse resgatá-lo após um ano, teria o montante líquido de R$1140,17, já descontados os impostos devidos. (saiba mais sobre a tributação de impostos em aplicações de renda fixa)

               A conclusão feita anteriormente ficou mais clara. Para manter seu poder de compra, o investimento em que está aplicando seu dinheiro deve ter uma rentabilidade, no mínimo, igual à inflação registrada no período.

        No nosso exemplo, projetamos o mesmo valor de inflação registrado em 2015 para 2016, o que provavelmente não ocorrerá. Como o IPCA flutua ano a ano, o Tesouro IPCA+ é uma ótima alternativa para quem quer se proteger da instabilidade econômica em que vivemos atualmente, pois garante uma rentabilidade-bônus significativa acima da inflação.

 

Rentabilidade Real x Rentabilidade Nominal

 

               Agora que você está familiarizado com o assunto, vamos a mais uma definição importante. O objetivo desta seção é apenas conceitual e o cálculo mais complexo de descontar a inflação pode ser visto no artigo “Como calcular a Rentabilidade Real de um investimento?“.

            O conceito de Rentabilidade Real está relacionado com a Inflação do período. Quando desejamos encontrar a Rentabilidade Real de um investimento devemos descontar a inflação da rentabilidade final obtida no período, ou melhor, da Rentabilidade Nominal.

               Ou seja, no nosso exemplo anterior, a Rentabilidade Nominal de João, no segundo caso, foi de 16,99% a.a., porém ao descontarmos a inflação de 10,67% a.a., temos que a Rentabilidade Real de João foi de 5,71% a.a.. Note que não foi feita uma mera subtração do que excede da inflação, isso porque o poder de compra diminui com o tempo.

               Não se preocupe, vamos com calma! Isso ficará mais claro quando você ler o artigo “Como calcular a Rentabilidade Real de um investimento?“. O que você precisa saber agora é que você só está realmente “ganhando dinheiro” quando seu investimento tem rentabilidade acima da Inflação, ou seja, Rentabilidade Real.

 Homem anotando em um caderno com um computador sobre a mesa

 

Principais causas da Inflação

 

             São alguns os fatores que influenciam no aumento de preços de produtos e serviços dentro de um determinado período. Na tabela abaixo, resumimos os principais fatores de influência para a Inflação e suas relações causa-efeitos.

 

Tabela com Causas e Efeitos da Inflação

 

Metodologia e Parâmetros para o Cálculo do IPCA

 

               Para gerar o índice de preços, o Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE – através do Sistema Nacional de Preços ao Consumidor – SNIPC – adota os estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços, as concessionárias de serviços públicos e domicílios – para levantamento de aluguel e condomínio – como unidades de coleta para a pesquisa de preços.

               Define também a população-objetivo, que abrange famílias das regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, Brasília e município de Goiânia, com rendimentos mensais compreendidos entre 1 (um) e 40 (quarenta) salários-mínimos, qualquer que seja a fonte de rendimentos, o que equivale a aproximadamente 90% das famílias brasileiras.

               Já o período de coleta estende-se, em geral, do dia 01 a 30 do mês de referência, comparando-os com os preços coletados no mês imediatamente anterior para cada região.

               O índice nacional IPCA é, então, calculado a partir dos resultados dos índices regionais, utilizando-se a média aritmética ponderada, tendo como base os valores de gastos obtidos na Pesquisa de Orçamentos Familiares – POF – realizada pelo IBGE [2].

               Segundo o Instituto, a POF “obtém informações gerais sobre domicílios, famílias e pessoas, hábitos de consumo, despesas e recebimentos das famílias pesquisadas, tendo como unidade de coleta os domicílios” [3]. A POF é realizada a cada cinco anos pelo IBGE em todo o território brasileiro, o que permite atualizar os pesos – a participação relativa do valor do gasto de um item consumido em relação ao gasto total – dos produtos e serviços nos orçamentos das famílias. Para mais detalhes sobre os itens que compõem a POF, consulte nossa Referência [4].

 

Gráfico Pizza da Distribuição dos pesos do IPCA (Inflação)

 

Conclusão

 

           Caricatura de Trabalhador tendo uma ideiaComo você viu, a Inflação é um conceito muito importante e que deve ser levado em conta na definição da modalidade de investimento que você vai aplicar seu dinheiro. Falamos aqui sobre o IPCA, as possíveis causas e os efeitos da inflação, metodologia e parâmetros de cálculo do índice em questão. Enfim, abordamos, de modo geral, tudo que envolve o conceito de Inflação.

           Basicamente, desejamos que você tenha sempre em mente dois conceitos apresentados no decorrer do artigo:

  • A Inflação diminui o poder de compra do seu dinheiro, a menos que ele esteja investido a taxas de rentabilidade acima da inflação.
  • Você deve sempre observar a Rentabilidade do seu investimento e otimizá-la no sentido de maximizar a Rentabilidade Real.

          Bom, continue acompanhando nosso blog, e aproveite para ler sobre outros temas.

           Esperamos que tenha gostado do artigo.

          Deixe seu comentário com dúvidas, críticas, sugestões e elogios.

         Até breve!

 

Referências

 

[1] http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto-precos-e-taxas-dos-titulos

[2] http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/precos/inpc_ipca/informet.shtm

[3] http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/pesquisas/pesquisa_resultados.php?id_pesquisa=25

[4] http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/precos/inpc_ipca/defaultsrm.shtm

 

Deixe seu comentário com dúvidas, críticas, sugestões e elogios.