Por que não deixar seu dinheiro na Poupança?

Pilha crescente de moedas ao lado de uma lâmpada acesa

 

           Você já deve ter estudado ou ouvido falar nas Leis de Newton. De acordo com a Primeira Lei de Newton, “se um corpo está em repouso ele irá permanecer neste estado até que uma força externa seja aplicada”.

            Expandindo esse conceito para além do universo da Física, podemos relacioná-lo muito bem com o conceito de “Zona de Conforto”. Mas, espera aí, o que isso tem a ver com a sua Poupança?

            Este artigo pode ser a força externa que fará você conquistar a independência da Zona de Conforto. Você vai ter a oportunidade de conhecer como funciona e como você está perdendo dinheiro aplicando na Caderneta de Poupança, comparando-a com uma das melhores alternativas do mercado atualmente, o Tesouro Direto.

A Zona de Conforto do Investimento

 

              A Zona de Conforto é um conjunto de ações, pensamentos e/ou comportamentos que uma pessoa está acostumada a ter e que não causam nenhum tipo de medo, ansiedade ou risco. Nessa condição a pessoa realiza um determinado número de comportamentos que lhe dá um desempenho constante, porém limitado e com uma sensação de segurança.

             É assim que funciona para a maioria dos brasileiros que ainda mantém suas economias, durante anos de trabalho duro, na Caderneta de Poupança. O brasileiro se acostumou com esse conceito por ser rápido e prático e com isso entrou na Zona de Conforto do Investimento.

               Mas essa situação está mudando a cada dia. Só no mês de janeiro de 2016, segundo reportagem publicada no site do G1, “as retiradas superaram os depósitos em R$ 12,03 bilhões. Esta foi a maior saída líquida mensal de recursos da poupança da série histórica, que tem início em 1995” [1]. Ou seja, cada vez mais os brasileiros estão abandonando essa modalidade.

               Mas, por que isso está acontecendo?

 

Antes de mais nada, vamos a uma breve definição

 

               Você já deve ter ouvido falar nos noticiários sobre a Inflação ou IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo. A Inflação, para muitos estudiosos, é basicamente o aumento dos preços dos produtos num determinado país ou região, durante um determinado período.

               Significa dizer, basicamente, que se você tem R$1000,00 em dinheiro hoje, você consegue comprar uma certa quantidade de produtos. Esses mesmos R$1000,00, daqui a um ano, certamente não serão suficientes para comprar a mesma quantidade de produtos. Isso porque estes estão mais caros devido à Inflação.

               Uma conclusão importante desse conceito é que para manter o poder de compra do seu dinheiro, ou seja, para que daqui a um ano, por exemplo, você tenha certeza que poderá comprar os mesmos produtos nas mesmas quantidades, você deve investir seu dinheiro numa aplicação que tenha uma rentabilidade, no mínimo, equivalente à Inflação anual.

 

Por que você está perdendo dinheiro com a Poupança?

 

Caricatura de Trabalhador chorando

               Na seção anterior vimos que para manter o poder de compra precisamos de um investimento que renda, no mínimo, o equivalente à Inflação. Será que a rentabilidade da poupança está acima da Inflação? Já adiantando, certamente não.

               Primeiramente, desde 2003 o Brasil não enfrenta um cenário inflacionário como o atual, onde a inflação registrada, em 2015 segundo dados do IBGE, foi de 10,67% a.a. (ao ano) [2]. Em segundo lugar, porque a rentabilidade da poupança é uma das menos atrativas do mercado. Atualmente, considerando dados do Portal Brasil para os meses de Janeiro, Fevereiro e Março de 2016, a rentabilidade da poupança é de aproximadamente 8,11% a.a. [3]. Para entender mais sobre a Remuneração dos Depósitos de Poupança, consulte o nosso artigo “Como funciona a Remuneração dos Depósitos de Poupança?“.

               Pois bem, agora você já sabe dizer o que isso significa. E é isso mesmo! Hoje seu dinheiro está perdendo poder de compra. Ou melhor, você está perdendo dinheiro aplicando na Caderneta de Poupança.

 

Então eu perdi dinheiro durante todo esse tempo investindo na Poupança?

 

                 Calma, não foi sempre assim! Como mencionado anteriormente, isso vem acontecendo devido ao período de alta inflação em que se encontra o Brasil. A Poupança, com exceção de 2015 e provavelmente 2016, nos últimos anos tem sido suficiente para o investidor que quer apenas manter o poder de compra do seu dinheiro, conforme a tabela a seguir.

 

Tabela com a Série Histórica de Rentabilidade da Poupança

 

                 Mas se vendo esses números você se sentiu desconfortável por estar perdendo ou deixando de ganhar dinheiro, acompanhe na próxima seção um cálculo simples comparativo entre um investimento bem fácil e simples, o Tesouro Direto.

 

Por que você está deixando de ganhar dinheiro?

 

                Conforme detalhado no artigo “Entenda melhor os Impostos sobre aplicações em Renda Fixa”, suponha que você queira começar a investir no Tesouro Selic 2021 [4], um dos títulos do Tesouro Direto. Como o Tesouro Selic tem rentabilidade indexada à Taxa Selic, ou seja, a rentabilidade do título é a mesma da Taxa Selic, consultando no dia 02/02/2016 a rentabilidade bruta do título era de 14,15% a.a. (ao ano), o que equivale a, aproximadamente, 1,11% a.m. (ao mês) [5].

              Vamos imaginar que você investirá R$1000,00 em títulos, do Tesouro Selic 2021, e irá resgatar a aplicação após 1 (mês), isentando-se do IOF, porém sendo abocanhado pela maior alíquota do Imposto de Renda possível para esta aplicação, de 22,5%.

                 Nessa situação hipotética, a rentabilidade líquida do seu investimento ao final de 1 (um) mês seria de 0,86% a.m. .

                Lembra do valor da rentabilidade média atual da Caderneta de Poupança que a gente comentou lá em cima? Pois é, a Rentabilidade da Poupança atualmente gira em torno de 8,11% a.a., o equivalente a 0,65% a.m., isso significa que a aplicação no Tesouro Direto, modalidade Tesouro Selic 2021, na pior das hipóteses, já seria aproximadamente 32,3% mais rentável do que a Poupança, no primeiro mês.

 

Conclusão

 

               Agora que você já entendeu um pouco o porquê de evitar a aplicação na Caderneta de Poupança, chegou a hora de você decidir o que melhor se adapta ao seu perfil de vida. Deixar seu dinheiro na Poupança não significa que você é um péssimo investidor. Tudo vai depender do seu objetivo, se de curto ou longo prazo, das suas necessidades e das suas experiências de vida.

               Nós do Manual do Investimento estamos apenas cumprindo nossa missão de levar essa informação a todos, para que cada um possa decidir o melhor a se fazer, e talvez ser para alguns a força externa que irá tirá-los da Zona de Conforto!

               Esperamos que tenha gostado do artigo.

               Deixe seu comentário com dúvidas, críticas, sugestões e elogios.

              Até breve!

 

Referências:

 

[1] http://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/2016/02/caderneta-de-poupanca-tem-saida-recorde-de-recursos-em-janeiro.html

[2] http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/precos/inpc_ipca/defaultseriesHist.shtm

[3] http://www.portalbrasil.net/poupanca_mensal.htm

[4] http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto-precos-e-taxas-dos-titulos

[5] http://www.bcb.gov.br/htms/selic/selicdia.asp

 

Deixe seu comentário com dúvidas, críticas, sugestões e elogios.